livraria


Jarry, supermoderno – por Paulo Leminski

A folhas tantas do seu Manifesto do surrealismo (1924), André Breton rascunha um esboço de árvore genealógica do movimento da “escrita automática” e do sonho acordado, de que sempre foi uma espécie de papa: Poe é surrealista na aventura. Baudelaire é surrealista na moral. Rimbaud é surrealista na prática da vida e alhures. Mallarmé é surrealista na confidência. Jarry é surrealista no absinto. Alfred Jarry, porém, foi mais que um simples bebedor da terrível bebida, quase psicodélica, que levava […]







5 artistas para ver na 32ª Bienal de São Paulo

Por Vivian Caccuri   Felipe Mujica Felipe é chileno e mora em Nova York. O artista montou grandes painéis de tecido de certas cores que chamou de Las universidades desconocidas – distribuídos pelo prédio mas com concentração no saguão de entrada. A geometria é extremamente simples, bordada à mão pelas Bordadeiras do Jardim Conceição.       Dineo Seshee Bopape Viajei para Acra com Dineo e desde então sou admiradora do trabalho dela, que nasceu […]