livraria


Marilyn Strathern no Brasil

No Reino Unido, onde essas coisas são levadas muito a sério, Marilyn Strathern é considerada a “rainha da antropologia”. De fato, ela ocupou o cargo mais prestigioso da universidade mais prestigiosa do reino, no departamento de Antropologia da Universidade de Cambridge. Strathern tem uma relação afetiva com o Brasil. Na entrevista abaixo, realizada por 8 antropólogas(os) em sua terceira visita ao Brasil, ela fala de sua trajetória, dos principais temas de sua obra (gênero, relação, […]


Juana Inés é uma das séries mais feministas da Netflix

Por Helena Vitorino   Juana Inés de Asbaje foi a primeira feminista das Américas. Nela, se concretizou tudo que havia de mais ousado, complexo e inimaginável para uma mulher no século 17: nascida na Colônia do México, era filha ilegítima de um militar espanhol e de uma criolla nativa; autodidata, aprendeu a ler e escrever aos três anos; mais tarde viria a dominar o Português, o latim e o Náuatle, língua de origem asteca, falada apenas […]


Sor Juana Inés de Octavio Paz: uma figura barroca e moderna, mexicana, hispânica e universal

por Maria Esther Maciel As idades poéticas unem-se numa memória viva. Gaston Bachelard   Em 1695, morria no Convento de São Jerônimo, Nova Espanha (hoje México), a monja, poeta e intelectual Sor Juana Inés de la Cruz, aos 47 anos de idade, um ano depois de ter sucumbido às pressões eclesiásticas do tempo e renunciado definitivamente ao mundo das letras. Deixava, para a sociedade da época e para a tradição literária hispano-americana dos séculos subsequentes, […]


Jarry, supermoderno – por Paulo Leminski

A folhas tantas do seu Manifesto do surrealismo (1924), André Breton rascunha um esboço de árvore genealógica do movimento da “escrita automática” e do sonho acordado, de que sempre foi uma espécie de papa: Poe é surrealista na aventura. Baudelaire é surrealista na moral. Rimbaud é surrealista na prática da vida e alhures. Mallarmé é surrealista na confidência. Jarry é surrealista no absinto. Alfred Jarry, porém, foi mais que um simples bebedor da terrível bebida, quase psicodélica, que levava […]


5 artistas para ver na 32ª Bienal de São Paulo

Por Vivian Caccuri   Felipe Mujica Felipe é chileno e mora em Nova York. O artista montou grandes painéis de tecido de certas cores que chamou de Las universidades desconocidas – distribuídos pelo prédio mas com concentração no saguão de entrada. A geometria é extremamente simples, bordada à mão pelas Bordadeiras do Jardim Conceição.       Dineo Seshee Bopape Viajei para Acra com Dineo e desde então sou admiradora do trabalho dela, que nasceu […]