antropologia


Resenha: 24/7 – capitalismo tardio e os fins do sono

Por Anthony Rodrigues Um dos debates mais efervescentes na teoria antropológica contemporânea seria a polêmica referente a linha limítrofe entre natureza-cultura na história das sociedades humanas. Esses dois eixos são geralmente vistos como paradoxais — com algum grau de determinação entre si — mas a priori nunca vistos como duas esferas capazes de colonizar totalmente a outra. Nos debates sobre gênero, por exemplo, as correntes materialistas afirmam que a construção social correlacionada aos papéis sexuais de […]


Por que Argonautas?

Em 1922, quando publicou a obra prima Argonautas do Pacífico ocidental, Bronislaw Malinowski “inventou” a etnografia. Com longos períodos de convívio com os habitantes das Ilhas Trobriand na Melanésia, o antropólogo polonês pôde fazer uma descrição inédita da vivacidade de uma cultura. Um parágrafo clássico da Introdução do livro dá o sabor de sua narrativa: “Imagine-se o leitor sozinho, rodeado apenas de seu equipamento, numa praia tropical próxima a uma aldeia nativa, vendo a lancha ou o barco que o […]


Descolonização e incerteza nas exposições paulistas de arte contemporânea

Por Pedro de Niemeyer Cesarino   Ainda que a “questão indígena” e “antropológica” estejam cada vez mais presentes na arte contemporânea, faltaria ainda o engajamento mais efetivo com os conceitos das próprias sociedades indígenas na construção de narrativas pelas quais elas costumam ser compreendidas.   Há mais de 50 anos, o antropólogo Claude Lévi-Strauss observava (em “As descontinuidades culturais e o desenvolvimento econômico e social”) que a aparente singeleza tecnológica das sociedades indígenas implica, na […]