Bastidores das ilustraA�A�es de MacunaA�ma – Blog da Ubu editora

Bastidores das ilustraA�A�es de MacunaA�ma


Luiz ZerbiniA�foi o artista convidado para criar a capa e as ilustraA�A�es paraA�a nova ediA�A?o de MacunaA�ma, da Ubu. A ediA�A?o privilegia o papel das fontes indA�genas no romance, e as ilustraA�A�es se servem de plantas verdadeiras da vegetaA�A?o brasileira.

Zerbini A� considerado um dos principais representantes da GeraA�A?o 80 da arte brasileira. JA? participou da Bienal Internacional de SA?o Paulo e possui diversos trabalhos em coleA�A�es pA?blicas, entre elas o Inhotim, o Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, o Museu de Arte Moderna de SA?o Paulo e o ItaA? Cultural.

 

A� A� A�A�

 

LIVRO

Publicado em 1928,A�MacunaA�maA�representou por muito tempo o sA�mbolo do a�?povo brasileiroa�? ou ainda daquilo que chamamos de a�?naA�A?oa�?. Esta ediA�A?o, que conta com o estabelecimento do texto de TelA? Ancona Lopez e Tatiana Longo Figueiredo, oferece uma nova chave de leitura ao romance, com foco especial para as fontes indA�genas utilizadas por MA?rio de Andrade em sua composiA�A?o. Como disse o prA?prio autor:A�a�?copiei, copiei A�s vezes textualmente[a��], nA?o sA? os etnA?grafos e os textos amerA�ndios, mais ainda, na a�?Carta pras Icamiabasa�?, pus frases inteiras de Rui Barbosa, de MA?rio Barreto, dos cronistas portugueses coloniaisa�?. No texto de LA?cia SA?, se explicita a cA?pia de trechos inteiros do mito de MakunaA�ma, tal qual recolhido pelo viajante alemA?o Theodor Koch-GrA?nberg.

Como sugere a apresentaA�A?o de Eduardo Sterzi, mais do que alegoria da formaA�A?o nacional, MacunaA�ma seria uma grande realizaA�A?o literA?ria da antropofagia, a�?capaz de colocar tudo o que existe sob o signo da devoraA�A?o [a��], em que comer o inimigo A� nA?o mera destruiA�A?o e assimilaA�A?o de outro corpo, mas, antes de tudo, um modo de experimentar o ponto de vista do inimigo sobre todas as coisas, especialmente sobre sia�?, citando Eduardo Viveiros de Castro.

 

MONOTIPIA

O processo usado para a produA�A?o das imagens do livro foi a monotipia, processo de impressA?o por prensa em que A� possA�vel reproduzir um desenho, forma ou mancha de cor em uma prova A?nica, de onde surge seu nome. A impressA?o obtida com a monotipia nA?o A� uma duplicata fiel do desenho ou mancha original: na passagem para o papel (impressA?o) as tintas se misturam fazendo surgir efeitos imprevisA�veis a�� e aA� que estA? toda a graA�a do processo.

 

 

As ilustraA�A�es feitas por Luiz Zerbini sA?o feitas com um procedimento similar ao de MA?rio com as fontes indA�genas em seu texto. As monotipias nA?o sA?o a�?representaA�A�esa�? da vegetaA�A?o tropical: sA?o as prA?prias plantas e objetos entintados que sA?o colocados na prensa, imprimindo e dando relevo com sua textura ao papel.

 

 

O enredo

Inspirado por passagens do romance em que o heroi se apaixona por CA?, Zerbini decidiu incluir o elemento humano, convidando uma performer para se deitar na prensa e se misturar a plantas e folhagens. VocA? pode assistir um trecho do procedimento no vA�deo abaixo.

 

*post criado pelo IdeaFixa, e adaptado para o blog, com o registro de todo o processo de produA�A?o das ilustraA�A�es do MacunaA�ma.

** Houve uma ediA�A?o de colecionador, de 250 exemplares, em capa dura, com pedaA�os de monotipia original de sobrecapa, vendidas a R$299. Publicada para financiar todo o processo das ilustraA�A�es, e vendida diretamente pela Ubu, a ediA�A?o se esgotou em 45 dias. A ediA�A?o que estA? em catA?logo, impressa em duas cores, com relevo na capa, chega ao pA?blico com um preA�o acessA�vel.

_

livros relacionados

MacunaA�ma
Mario de Andrade

R$69,90

Untitled-1